A importância da empatia no ambiente de trabalho


Se colocar no lugar do outro. Quantas vezes você já ouviu ou tentou fazer isso?

Apesar da empatia ser muito divulgada e “pregada” aos quatro cantos, ainda é muito difícil para alguns colocá-la em prática, principalmente no ambiente de trabalho. É como se diz popularmente: “na prática a teoria é outra”.

Ou seja, nem todo mundo consegue se identificar com o(a) colega do lado, ao ponto de se permitir sentir o que ele(a) sente ou se colocar em seu lugar, sem pré-julgamentos.

Mas o bom desse esse exercício de autoconhecimento é que depois de algum tempo de treino, você percebe que praticar a empatia é uma atitude possível e pode fazer muito bem a todos os envolvidos. Não só em termos de relacionamento interpessoal, mas de melhor conexão com o outro e de maior sensação de bem-estar consigo mesmo.

Uma prova disso é que de acordo com a pesquisa realizada em 2021, pela Catalyst Team Building Network, organização sem fins lucrativos com representantes em mais de 90 países, os colaboradores que trabalham em empresas empáticas costumam sentir menos estresse, são mais inovadores, engajados e consequentemente, se mantêm na mesma empresa por mais tempo.

Além disso, em um ambiente de trabalho onde não há empatia, a performance profissional costuma cair e o lugar se torna mais tóxico, com o passar do tempo, por não haver colaboração mútua entre os colegas, segundo o estudo da Academy of Management Journal, nos Estados Unidos, publicado em 2022.

Mas se por um lado os benefícios da empatia para a saúde mental e o ambiente corporativo são inúmeros, pelo outro, como podemos exercitá-la diariamente para mudar o nosso entorno? Confira a seguir algumas dicas:

§ Pratique a escuta ativa e atenta: ter empatia significa se envolver com o que a pessoa está falando para poder se conectar verdadeiramente com ela. Preste atenção em suas histórias e detalhes, aceite mais e julgue menos, e tente superar seus preconceitos, procurando ser mais compreensivo(a) e gentil.

§ Procure ajudar da melhor forma possível. Ouvir a pessoa, dizer que a compreende e que está disposto(a) a buscar alternativas e caminhos para ajudá-la pode ser um grande começo para que alguém consiga sair da situação difícil em que se encontra.

§ Ao invés de julgar procure escutar a pessoa e se possível, se aprofundar no assunto e naquele sentimento, sem se deixar levar pelas suas falhas. Assim você pode verdadeiramente contribuir e refletir junto com ela sobre possíveis alternativas.

§ Você não precisa concordar com tudo, mas pode estar mais aberto(a) para aprender a compreender diferentes pontos de vista.

No final das contas, não se trata do outro, mas do quanto você pode contribuir para tornar não só o seu ambiente de trabalho melhor, mas o mundo também.

Todos temos limites, problemas e potenciais a serem descobertos. Portanto, criar um ambiente mais acolhedor e empático cabe a todos nós.

Posts em destaque
Posts recentes