Competências profissionais no cenário pós-pandemia


O contexto da pandemia mudou a forma de operação das empresas. O trabalho remoto e a acelerada transformação digital abriram oportunidades de desenvolvimento para profissionais e gestores e também para descobertas de novos talentos que ultrapassam limites geográficos.


Tem sido cada vez mais comum ambientes de trabalho com diferentes composições de equipes, pois muitas companhias mantêm departamentos atuando em home office e outros em seus postos presenciais.


Nesse cenário, os líderes têm o desafio de interagir criativamente e de maneira assertiva com seus profissionais, incentivando-os, mostrando aos times o quão juntos estão e que cada um é peça fundamental para a construção do todo.


Mas, esse novo jeito de trabalhar requer um profissional com uma nova mentalidade e postura, que tenha a formação técnica exigida para determinada função, mas que também tenha habilidades comportamentais para lidar com todas as situações, são as chamadas soft skills.


Segundo Andressa Dela Justina, Psicóloga e especialista da Mental Clean, Consultoria Especializada em Saúde Mental do Trabalhador, o mercado busca pessoas autogerenciáveis, que entendam qual é a necessidade da empresa, mas que também saibam administrar suas emoções.


“Os profissionais desse novo contexto devem ter facilidade em se adaptar às mudanças, que ocorrem de forma cada vez mais rápidas, e que se relacionem bem com o restante da equipe, tanto no formato presencial como a distância”, explica a psicóloga.


A especialista destaca que são valorizadas também pessoas com facilidade em se comunicar e solucionar os problemas de modo prático e rápido, já que as equipes estão se enxugando e as demandas de trabalho, por sua vez, sempre maiores.


Muitos CEOs de grandes empresas afirmam que contratam pela formação técnica e demitem pela falta de habilidades comportamentais. Mas, quais seriam essas condutas que prejudicam o desempenho profissional?


De acordo com a especialista da Mental Clean, a dificuldade do profissional em se relacionar e gerenciar conflitos afeta o clima organizacional e a produtividade.


“A falta de competência relacional faz com que as empresas gastem mais tempo na tentativa de resolver situações, e, como as empresas estão exigentes na entrega de resultados, a tendência é que o gestor opte pelo desligamento e pela contratação de outra pessoa”, pontua Andressa.


Por outro lado, a complexidade em se adaptar a novos contextos faz com que nem sempre os profissionais se adequem e estejam preparados para esses novos cenários.


Uma pesquisa divulgada em outubro pela Global Stakeholder, realizada com cerca de 20 mil pessoas de 11 países, incluindo o Brasil, apontou que profissionais de 8 em cada 10 nações pesquisadas acreditam que a adaptabilidade é o atributo mais importante nesse cenário pós-pandemia. Colaboração, criatividade, aptidões comerciais e facilidade para análise de dados complementam as cinco habilidades mais importantes nos próximos seis meses.


Fátima Macedo, Psicóloga e CEO da Mental Clean, alerta que a Saúde Emocional está relacionada a esse processo e, muitas vezes, as empresas chegam a perder talentos valiosos por não investirem no desenvolvimento dessas soft skilss.


“Um colaborador pode ser excelente, mas se, em determinado momento, ele não se sente bem emocionalmente, poderá começar a apresentar problemas de comportamento”, explica.


A Psicóloga exemplifica: “Se eu estou bem com os meus sentimentos, eu tenho mais tranquilidade para receber o meu feedback, para entender em quais pontos preciso me desenvolver e como consigo me conectar com as minhas necessidades. Eu passo a enxergar isso como uma oportunidade e a trabalhar a questão com a minha liderança”, diz Fátima Macedo.


Portanto, a Saúde Mental é também um componente fundamental no processo de desenvolvimento das aptidões profissionais. “Quanto mais as pessoas cuidam do seu desenvolvimento emocional, mais desempenho alcançam em suas carreiras, são fatores que estão diretamente relacionados”, diz a CEO.


Os líderes podem estimular o desenvolvimento das soft skills de sua equipe. Essas dicas podem ajudar:


  1. Confie na sua equipe! Delegue mais e deixe que seu time traga novas ideias, que proponha soluções e que interaja com seus pares. Eles se sentirão mais engajados e motivados.

  2. Conheça seus colaboradores! Existem ferramentas de mapeamento comportamental, cujos resultados beneficiam tanto o autoconhecimento do funcionário como indicam áreas de melhora nas quais os gestores devem investir.

  3. Pratique o feedback! A importância desta prática está em valorizar as conquistas do profissional, suas contribuições para a empresa e avaliar pontos que precisam ser melhorados.

  4. Ouça o seu time! Escutar o colaborador é fundamental sempre, e mais, colocar-se à disposição, para, na medida do possível, atender às suas solicitações.

  5. Estimule o senso colaborativo! Um ambiente de cooperação favorece os relacionamentos interpessoais, ativando a comunicação entre as equipes, criando uma rede de apoio e ajuda entre os colaboradores.


Equipes motivadas e alinhadas aos desafios de um mundo em constante transformação!


É preciso que profissionais, líderes e gestores tenham clareza de que somente técnica não traz resultados.


Invista constantemente no aprimoramento das suas competências!


Posts em destaque
Posts recentes
  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Instagram Mental Clean
  • Twitter ícone social
  • Pinterest ícone social

© 2018 Mental Clean