Dezembro Vermelho – porque prevenção e autocuidado são, acima de tudo, gestos de amor!



Anualmente, em 1º. de dezembro, se celebra o Dia Mundial de Combate à AIDS, uma data instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) para conscientização das populações ao redor do planeta sobre os efeitos e impactos dessa doença transmitida pelo vírus HIV, que não tem cura, mas que tem tratamento e pode ser evitada.


Se na identificação dos primeiros casos, no início dos anos 80, o diagnóstico era quase uma sentença de morte, hoje os portadores do HIV podem conviver com a doença desfrutando de uma vida com qualidade, seguindo o tratamento adequado, por meio de medicamentos antirretrovirais e as devidas orientações médicas.


Segundo dados do Ministério da Saúde, estima-se que 900 mil brasileiros sejam soropositivos para HIV. Desse total, cerca de 135 mil pessoas estão infectadas com o vírus e não sabem.


Quanto mais cedo o diagnóstico, mais eficazes serão as estratégias de controle da doença. O Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza tratamento gratuito a todas as pessoas portadoras do HIV, bem como o acesso à testagem de sorologia e à distribuição de preservativos.


Pelo canal Disque Saúde 136 é possível obter informações sobre os locais onde os testes podem ser realizados.


Mesmo com todas as informações disponíveis, ainda é preciso romper o estigma que há em torno dessa doença que não escolhe rosto, idade, classe social, sexo, gênero, cor ou raça. A AIDS pode acometer qualquer um de nós!


O HIV pode ser transmitido principalmente pelo contato sexual, transfusão de sangue e uso de seringas e agulhas infectadas. Pode ser passada também de mãe para filho durante a gravidez, no parto ou na amamentação.


“As pessoas ainda têm muita dificuldade em falar sobre algo que pode estar relacionado à sua sexualidade, por exemplo. Então, muitos preferem ‘deixar pra lá’ e abrir mão do autocuidado com a sua saúde por se sentirem culpadas ou por medo de sofrerem preconceito”, explica Patrícia França Proença, Psicóloga e especialista da Mental Clean.


Sabe-se que não é somente o sistema imunológico que é impactado mediante um resultado positivo para HIV. A Saúde Emocional também sofre repercussões importantes como o desenvolvimento de Depressão, Ansiedade, medo e angústia, que se instalam no paciente junto ao diagnóstico.


“O acompanhamento psicológico é fundamental para apoiar a pessoa infectada com o HIV, acolher seus sentimentos, superar as fragilidades, desenvolver a resiliência e ressignificar esse ciclo em que é possível conviver com a doença, com qualidade de vida e equilíbrio emocional”, diz Patrícia.


É importante também que líderes e gestores de empresas estejam sensibilizados e preparados para prestar apoio aos colaboradores infectados pelo HIV.


Por isso, o Dezembro Vermelho é um alerta sobre a necessidade do autocuidado e da prevenção ao HIV, um gesto de amor e de responsabilidade consigo e com o outro.


Fique atento! Para enfrentar o HIV, além dos exames preventivos, é preciso estar bem emocionalmente!

Portanto, lembre-se sempre que nesta jornada você não estará sozinho.


Não tenha receio de pedir ajuda!


E saiba que demonstrações de carinho, como beijos e abraços, assim como empatia e solidariedade, não transmitem o vírus HIV. Eles aquecem corações e mentes!



Posts em destaque
Posts recentes
  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Instagram Mental Clean
  • Twitter ícone social
  • Pinterest ícone social

© 2018 Mental Clean - Política de Privacidade